Saltar os Menus

Coleção de Câmaras

Núcleo Museológico António Pedro Vicente

Origens

Um dos projectos que o CPF se propôs desenvolver nos primeiros anos da sua existência, foi estabelecer um núcleo museológico de fotografia, com exposição permanente, até então inexistente em Portugal. Tendo em conta que a colecção que António Pedro Vicente havia reunido, era suficientemente conhecida pelos historiadores da fotografia e pelos coleccionadores para justificar esta criação, e dada a conjuntura decorrente da escolha do Porto, em 2001, para Capital Europeia da Cultura, onde o CPF continua a ter a sua sede, a então Sociedade Porto 2001 S.A., adquire-a ao coleccionador em Dezembro de 2000 doando-a em ocasião posterior a este organismo.

O coleccionador

Historiador e professor catedrático de História Contemporânea na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, António Pedro Vicente dedicou-se fundamentalmente a história política, institucional, militar e diplomática. Sempre se interessou pela fotografia, como documento fundamental da história contemporânea. A sua formação académica e a prática de investigação asseguram a lógica coordenativa desta colecção que permite documentar a evolução da cultura fotográfica nas áreas da estética, ciência, técnica, comércio, indústria e lazer. Tendo iniciado a sua colecção de câmaras fotográficas antigas num período em que este tipo de interesse era ainda raríssimo, conseguiu reunir peças hoje inexistentes no mercado internacional.

A colecção

Reunia originalmente cerca de 1900 peças, de todos os períodos de produção, incluindo as históricas Daguerrianas, câmaras à tiroir, estereoscópicas, de múltiplas objectivas (carte-de-visite), bem como espécies dos primeiros construtores ingleses, franceses e alemães. Para além das cerca de 300 câmaras miniatura, de espionagem, primeiros modelos de máquinas de fotografia a cores, photomaton, aparelhos especializados para fins científicos, médicos, industriais, militares e estereofotografia, a colecção inclui cerca de 60 non-cameras, na sua maioria brinquedos e outros objectos representando câmaras fotográficas. Nela encontram-se representadas as grandes marcas mundiais designadamente Kodak, Zeiss, Ernemann, Leica e Polaroid.
Ainda que o nome António Pedro Vicente continue intrinsecamente associado à colecção, outros coleccionadores contribuiriam decisivamente para o seu aumento e valorização, em alguns casos por meio de doações. As várias incorporações à colecção feitas ao longo do tempo, também com recurso a aquisições, enriqueceram e ampliaram em muito o conjunto inicial que ascende agora a cerca de 4000 peças.

Actualidade

Harmonia e equilíbrio visuais e de espaço, a par de uma nova e apurada componente pedagógica, são as actuais apostas do CPF no sentido de garantir a atractividade de um dos mais importantes núcleos museológicos da Europa para o sector. A distribuição e organização das câmaras por grupos tipológicos ou “famílias”, acompanhadas de novas legendas e breves textos explicativos de fácil e interessante leitura, oferecem agora aos visitantes uma viagem pelas diferentes correntes temporais do mundo mágico da fotografia.
O Núcleo Museológico/Colecção de Câmaras do CPF ocupa o 3º piso do Edifício da Ex-Cadeia da Relação do Porto, sede do CPF, e pode ser visitada gratuitamente dentro dos horários habituais de abertura ao público do centro de exposições.

Última Actualização: 3 de Março de 2015