Saltar os Menus

Notícias

6 de Agosto de 2018

Murer Express Newness, ca. 1900

Construtor Murer & Duroni, Milão, Itália Coleção de Câmaras e Equipamento Fotográfico do CPF / Coleção António Pedro Vicente, PT/CPF/CCEF/APV/00126 © Centro Português de Fotografia/DGLAB/MC

Construtor Murer & Duroni, Milão, Itália
Coleção de Câmaras e Equipamento Fotográfico do CPF / Coleção António Pedro Vicente, PT/CPF/CCEF/APV/00126
© Centro Português de Fotografia/DGLAB/MC

 

É de Itália que nos chega esta câmara que permite realizar 12 exposições de 6,5×9 cm. Para fotografar, as chapas de vidro são colocadas em posição por um mecanismo de rotação que se encontra no seu interior.

Do ponto de vista histórico, este tipo de câmaras, denominadas “detetive”, marcam o final de uma era, atendendo a que a película começa então a ocupar o seu lugar na história. Eram câmaras de aspeto simples e modesto, que se distanciavam das habituais câmaras de fole e que permitiam fazer fotografias sem o uso do tripé, sendo, por isso, muito mais discretas. Terá sido esta conjugação de fatores que deu origem ao seu nome “detetive”.

Esta notícia foi publicada em 6 de Agosto de 2018 e foi arquivada em: Câmara em Destaque, Documento do mês.